segunda-feira, agosto 20, 2007

Trema trema e Parapan 2007

Enquanto a reforma previdenciária, fiscal, política e afins não sai, Brasil se prepara para mudança ortográfica (Requer senha uol) Dentre as mudanças espera-se o assassinato da trema e a inclusão oficial do k, y e w, no alfabeto portuga.
A idéia parece ser melhorar a integração entre os países de língua portuguesa.

Obs: A questão que mais me abala: quando é que vão abolir a separação entre: "Porque", "por que", "por quê" e "porquê"?
Obs 2: Por mim adotaríamos esperanto e tá valendo.
Obs 3: E você achando que não aprenderia nada de útil no Recinto Harocular hein?

*****

Oia Brasil detonante no Parapan 2007!

PáisOuroPrataBronzeTotal
Brasil (AEEH!!)866877228
Canadá493726112
Estados Unidos374436117

Mais que o dobro do segundo colocado nesse quadro de medalhas!
(Olha! Mais evolução na tabela! UHHUU!)

*****

A ovelha do demônio! Divertido filme para alegrar a nossa segunda-feira!
Fico pensando o que aconteceria se todas as ovelhas recebessem essa máscara.

18 comentários:

Camila disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Minha vã Filosofia disse...

Diz um autor que não estou em lembrando qual, "que nada personifica mais a independência de um indivíduo, do que a capacidade de ir e vir com as própias forças", é maravilhoso ver essa conquista do Brasil nos jogos parapan, como uma amostra de respeito, de reconhecimento e de incentivo aos nosso atletas e a todas as pessoas com deficiência ...

Anaïs disse...

Ah sim, a reforma ortográfica ... rs.
Daí em diante se tudo correr bem serei Anays.

bj
;)

GRILO PHALANTE disse...

Não só trema como outros acentinhos... Agora é que muitos professores vão tremer.

Jô disse...

Esperanto é uma boa idéia, um idioma muito fácil de aprender e até legal e divertido!!!!!

Lady disse...

Desde os anos 70 ameaçam fazer essa reforma.
Acho que agora, com um presidente que não chegou nem ao segundo grau, é mais provável que ela passe.
Mas mesmo assim, acho que não passa não.

Haróculo disse...

heheehe não deixa de ser um bocado irônico.
Esperando é fácil mesmo, 1 semana estudando e já rolava de conversar.
Mais acentos? Uia!
Lady, vc está a par do que vai rolar nessa reforma? Escreve um artigo explicando para os leigos :D

marcotmarcot disse...

O objetivo principal da reforma é aproximar as variações das línguas portuguesas.

Essa análise é especialmente útil para se perceber o quanto as pessoas entendem do funcionamento do governo brasileiro, enquanto acham que esse tipo de questão é decidida apenas pelo presidente.

http://www.google.com.br/search?q=reforma+ortogr%C3%A1fica&ie=utf-8&oe=utf-8&aq=t&rls=com.ubuntu:en-US:official&client=firefox-a

Lady disse...

eu nao disse que é decidida apenas pelo presidente.
tem gente que lê mais do que está escrito.
vai ver que é por isso que tentam mudar a gramática: pra ficar mais fácil de entender.
seria mais sensato melhorar o nível dos ensinos fundamental, médio e superior.

(e, mais uma vez, que saco esse negócio de word verification! :P )

Lady disse...

quem ensina gramática aos jovens de hoje sabe a dificuldade que é.
como se vai argumentar que o jovem deve aprender a norma culta, escrever dentro das regras para ser bem sucedido na vida, se ele diz:
"mas pra quê eu vou fazer isso, professora, se o presidente nao chegou nem ao segundo grau?"

pra essa pergunta você também tem uma resposta rápida, marcotmarcot?

marcotmarcot disse...

Bem, até que tenho uma resposta na ponta da língua sim. Você deve aprender isso porque compreender melhor a estrutura da língua faz com que você possa pensar melhor, e conseqüentemente, agir melhor. Antes do Lula se tornar presidente já haviam outros exemplos de pessoas bem sucedidas que não passaram pelo processo formal de educação, e eu não vejo problema algum nessas pessoas existirem. Pelo contrário, acho um absurdo pensar que todo mundo que vira exemplo deveria ter estudado, pois assim as criancinhas seriam estimuladas a estudar. Não acho que alguém deveria querer estudar para poder conseguir chegar a um determinado cargo que exige o estudo, mas sim pelo prazer de aprender e pela vontade. Esse tipo de chantagem --- se você não estudar, não vai poder se tornar presidente --- ao meu ver funciona muito mais como um desestimulante ao desejo natural de aprender.

Se a gramática tem problemas, e é difícil ensiná-la, é um tema a ser discutido. Se a nova gramática vai piorar esses problemas ou melhorar, é uma questão interessante ao se pensar se ela deve ou não ser implementada. Mas você não abordou essa questão em seu posicionamento.

Não estou querendo criticar seu posicionamento apenas por criticar. Achei mais bem fundamentado o conteúdo da interpretação de sua primeira mensagem no sentido que você explicou posteriormente do que no sentido que eu havia entendido. Não que eu houvesse lido mais do que estava escrito: relendo fica claro que ela pode ser interpretada dessas duas formas, sendo que ainda acho que a minha é a mais natural. Mas a sua é igualmente válida, e faz bem mais sentido. O meu tom um pouco agressivo na primeira mensagem se deve a um certo ranço com essa crítica gratuita e generalizada ao Lula. Não que a sua interpretação também não o critique, indiretamente. Mas então, você acha ruim que uma pessoa sem o segundo grau concluído possa exercer a presidência?

Para pessoas que lêem muitos textos de Portugal, ou de outro país de língua portuguesa, essa reforma vai facilitar bastante as coisas, pois haverão menos diferenças. Apesar de que, alguns acentos diferentes continuarão, como fêmur (Brasil) e fémur (Portugal). Não vejo em que ela pode ser ruim, e como você me pareceu não gostar muito da reforma, gostaria de saber o que te incomoda nela. O argumento que você colocou é que seria mais sensato melhorar o ensino. Mas esse argumento apela para a obviedade: todo mundo sabe que é mais importante melhorar o ensino do que qualquer tipo de reforma, mas isso não impede que a reforma seja feita ao mesmo tempo. O problema dos argumentos desse tipo é que eles podem ser usados para justificar qualquer coisa: Cotas para negros são boas? Não, o certo é melhorar a educação. Você acha que deveriam aumentar o número de alunos por professores na universidade, e criar mais vagas? Não, o certo é melhorar a educação. Qualquer proposta de mudança cai com eles; o que está em jogo não é a validade da proposta, mas que sempre ela vai ser pior do que um consenso geral.

Lady disse...

Esse negócio de reforma lingüística só serve para encher o saco - eu queria que o trocadilho fosse "encher lingüiça". Acho que o vocabulário ortográfico está bem do jeito que está; não vejo necessidade de se unificar a língua portuguesa e estou muito bem, obrigada, com a variante brasileira - posso até aderir a um movimento separatista.
Não sei o que esse povinho quer, de fato, com essa tal reforma. Recalque acadêmico?
Bah, se é para "zelar pela nossa língua, nossa pátria", isso é papo fiado. O que é preciso, mesmo, é zelar pelo acesso à educação de boa qualidade SIM. Ao invés de ficar inventando moda, cota, reforma, vai fazer coisa que preste.
Daqui a pouco vai voltar aquela história de aportuguesar todos os estrangeirismos na marra.
O que mais me dá nos nervos é que, SE fosse mudar alguma coisa na língua, teria coisa muito mais útil para reformar.
Dois exemplos: as gramáticas chancelarem o uso de "você/te/ti" e de "tu" com conjugação da 3a pessoa.
Mudar a conjugação do verbo "redargüir"? Não sei, me parece preciosismo.
Mas claro, quanto mais, melhor. Fica mais complicado, e a Folha de São Paulo tem mais chance de esclarecer seus ignóbeis leitores.
Todo mundo sabe que a ortografia é arbitrária. Trocar alhos por bugalhos vai dar totalmente na mesma em termos de dificuldade da escrita etc. etc. para, digamos, crianças que ainda não aprenderam a escrever. Para quem já domina a atual norma, vai ser um fator de complicação.

Me pergunto, então, qual a utilidade?

E se a lingüiça sem trema vai ser mais digestiva, a Assembléia sem acento vai ficar vazia?

Obs.: Aposto meus anéis que você ainda não saiu da faculdade de Letras e ainda está sonhando com aluno perfeito. Acertei? ;)

Lady disse...

Ah, e não vou mais fazer comentário nenhum sobre Lula. Companheiro é o caralho, não vem pro meu lado que não tem. Não vou perder meu preciosíssimo tempo com um merda desses.

marcotmarcot disse...

As definições ortográficas não tem nada de arbitrárias, e as reformas lingüísticas visam acompanhar a evolução natural da língua, além de outros objetivos como, nesse caso, aproximar as variações do Português.

Não, eu não estudo Letras nem estou procurando o aluno perfeito. A minha argumentação parte do pressuposto que as normas gramaticais vão além da sala de aula e têm algumas conseqüências bastante importantes na forma de pensar a língua e na aproximação cultural. Elas definem a língua, e a língua define como nós pensamos. A mudança influencia 2% da língua, portanto será pouco significativo, mas é através de um acúmulo de mudanças como essas que as línguas vão sendo estabelecidas.

Acho bem estranho que uma professora de Português --- pelo o que eu entendi você é --- não ache importante a convenção formal de uma língua. Acho também estranho pensar que ela só serve para ser ensinada para os alunos, que só terão vontade de aprendê-las para poder ter algum diploma que possibilitará a eles ocupar o cargo de algum ídolo, como o citado presidente Lula.

Aliás, sobre política, eu me recuso a perder tempo com esse tipo de análise tão superficial e hegemônica; mesmo não achando meu tempo super valioso, o que, de certa forma, está relacionado com achar que eu sou melhor do que alguém.

Lady disse...

ai, vamos concordar em discordar?
tô achando essa discussao uma perda de tempo danada.

marcotmarcot disse...

Acho que é justamente por as pessoas acharem que é perda de tempo discutir — estou com pressa para ver novela — que as coisas continuam assim. Mas quando um não quer ...

Lady disse...

que chato de galochas, hein?
vai amolar outro, marcotmarcot.
nem se eu tivesse tempo veria novelas.

marcotmarcot disse...

Estou amolando:

http://souzap.blogspot.com/2007/08/earthlings-terrqueos_11.html